Pular para o conteúdo principal

Patrícia Arquette em Defesa dos Direitos da Mulher



Na 87ª cerimônia do Oscar,  realizada na noite do último domingo, 22 de fevereiro, no Dolby Theatre, em Hollywood, Los Angeles, Estados Unidos da América; ouviu-se o clamor da voz feminina de Patrícia Arquette, que emocionou o mundo com um magnífico discurso de agradecimento, quando venceu  o Oscar de melhor atriz coadjuvante pela atuação em "Boyhood", da Infância à Juventude, do diretor Richard Linklater.  A atriz, de 46 anos, interpretou Olivia Evans, a mãe divorciada do garoto Mason Jr.

Emocionada, Patrícia Arquette, expressou sua imensa gratidão  à família e à equipe do filme, e dedicou o Oscar à defesa da Igualdade de Gênero na América do Norte:
- "Dedico a toda mulher que já deu à luz, todo cidadão que paga impostos, nós lutamos pelos direitos de todo mundo. É nossa vez de ter salários igualitários para todos e direitos iguais para as mulheres nos Estados Unidos". 
Foi intensamente aplaudida no Dolby Theatre   e em  todo o mundo.

Patrícia Arquette ainda anunciou convicta: “quero ajudar milhares e milhares de pessoas.”
E Patrícia Arquette realmente ajudou milhares e milhares de pessoas com sua voz firme e inabalável em defesa dos direitos da mulher, em defesa dos salários iguais e de oportunidades iguais para homens e mulheres.

Atualmente, o Brasil encontra-se na 71ª  posição no ranking de Igualdade de Gênero, de acordo com os dados divulgados durante a realização do Fórum Econômico Mundial de 2014, que avaliou as diferenças entre homens e mulheres na saúde, educação, economia e indicadores políticos em 142 países.

O discurso de Patrícia Arquette repercutiu  favoravelmente entre as brasileiras, que admiraram a determinação da atriz em prol da defesa dos direitos iguais para as mulheres, às vésperas das comemorações do Dia Internacional Da Mulher.

Jam Pawlak
Fundadora e atual Presidente da Organização Neo Humanitarismo Universalista

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cartas para Marie Curie: livro para ouvir...

Livro para ouvir
Selo ONHU Brazil
Em 2013, a Organização Neo Humanitarismo Universalista, ONH-U, está finalizando o projeto cultural sem fins lucrativos, Cartas para Marie Curie, Tributo ao 100º Aniversário do Prêmio Nobel em Química para Maria Sklodowska-Curie, celebrado em 2011 no Brasil e no exterior. O concurso cultural "Cartas para Marie Curie" promovido pela Organização Neo Humanitarismo Universalista, ONH-U, compartilhou o legado de Marie Curie entre a juventude do Brasil, visando  popularizar a contribuição da Mulher para a Ciência. A Organização Neo Humanitarismo Universalista, ONH-U, recebeu mais de duas mil cartas de todo o país, cartas inéditas, criativas  e solidárias,  com relatos dos estudantes do Brasil sobre suas vidas, sobre a vida e a obra de Marie Curie,  e de como a história de Marie Curie afetou suas vidas  na atualidade. A história de Marie Curie encantou a juventude  do Brasil de tal forma, que um grupo de jovens de São Paulo,  mobilizou o Núcleo de Juven…

Esferas Celestes: Nicolau Copérnico E A Astronomia Moderna

Estátua de Nicolau Copérnico na Polônia.
O Núcleo de Cinema Ambiental da Organização Neo Humanitarismo Universalista, ONH-U, celebradesde o início do ano de 2013, o Aniversário de 540 anos de Nascimento do Pai da Astronomia Moderna, Nicolau Copérnico, com sessões de cinema do filme documentário Esferas Celestes, produção brasileira de 2009, Ano Internacional da Astronomia, com direção de Ismael de Lima Jr. O filme é um tributo ao legadode Nicolau Copérnico para a humanidade; aborda de forma lúdica a história do astrônomo polonês, autor da obra “Sobre As Revoluções Das Esferas” (De Revolutionibus Orbium Coelestium). O filme Esferas Celestes foi exibido nas seguintes cidades: São Paulo (SP), Santos (SP), Campinas (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Londrina(PR), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte(MG); valorizando o cinema ambiental e a ecologia humana através de sessões de cinema voltadas para a popularização da Astronomia entre a juventude do Brasil.
O talentoso …

O Empoderamento Feminino E O Desenvolvimento Sustentável No Brasil

Cerimônia de entrega do Prêmio Sadako Sasaki 2016. Fotografia de Isabella Pawlak.
"O Prêmio Sadako Sasaki em prol da Igualdade de Gênero, almeja dar visibilidade às ações humanitárias realizadas pelas meninas e pelas mulheres no Brasil, promovendo a integração das culturas, oriental e ocidental, utilizando para tanto o humanismo e o pacifismo. 
A solidariedade internacional deverá ser incentivada nas crianças, ainda nos primeiros anos escolares. O futuro da humanidade está nas mãos das mulheres e das crianças do mundo, e educar para a paz não é uma tarefa apenas das escolas, mas de todos os seres humanos de boa vontade.
A maior justificativa  do Prêmio Sadako Sasaki em prol da Igualdade de Gênero, está no intuito de proporcionar o reconhecimento público em prol da defesa dos direitos humanos da população feminina, preservando ainda a memória mundial sobre o legado humanitário de Sadako Sasaki, mais de meio século depois que Sadako perdeu sua vida aos 12 anos de idade, devido à e…